Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Hot list: Anguilla

22/01/2019

Por Alexandre Eça. Especial para a The Traveller

 

Em setembro de 2018, muitas ilhas do Caribe sofriam um duro golpe com o esperado furacão Irma. Anguilla, pertinho das badaladíssimas St. Barth e St. Martin, estava em alta. Banhada pelas águas do Atlântico de um lado e do Mar do Caribe do outro, recebia um número recorde de personalidades à procura de belas praias e clima de exclusividade e privacidade. O furacão ficou sobre a ilha por mais de três horas. Mesmo com toda a preparação, passado o furacão, o saldo não era dos mais animadores. Hotéis danificados e natureza que em nada lembrava os cenários verdejantes que fizeram a fama do país de pouco mais de 14 mil habitantes.

Em agosto de 2018, quase um ano depois, os sinais da passagem do Irma ainda podem ser notados em algumas poucas regiões da ilha, que é território britânico em pleno Caribe. Mas Anguilla segue firme no propósito de dar a volta por cima – até por que é desses destinos para constar em qualquer hot list. Grandes hotéis e resorts estão reabrindo, uma indisfarçável animação é notada em qualquer conversa com os moradores da ilha, e restaurantes, bares e festas já agitam os fins de semana por lá. Estive recentemente em Anguilla para registrar essa virada e retomada do país no cenário do turismo caribenho. Às vésperas da temporada mais badalada, que começa oficialmente a partir deste mês e estende-se até o fim de julho, já dá para sentir a alegria típica de um povo que adora sorrir.

Quem chega a Anguilla encontra três destaques: esse povo alegre, que gosta de interagir com o visitante, mas nunca parece invasivo demais – influência inglesa, talvez; a gastronomia de alto nível (mesmo nos restaurantes mais simples e pé na areia: o prato tradicional do país é o churrasco, mas as estrelas são os frutos do mar, sempre fresquíssimos); e ótimos hotéis com elevados padrões de serviços. Não é exagero dizer que a hospedagem por lá é parte importante de viagem ao país que também tem a Rainha Elizabeth como chefe de estado figurativa. Súditos.  Acho que ficou um pouco solto, e vcs?
 
E as praias? Elas estão lá, reinando como highlight absoluto. Impressionantes. Se tem uma coisa que não mudou desde o furacão de 2017 foi a beleza à beira-mar em Anguilla. As principais, como a deslumbrante Shoal Bay, sempre nas listas das praias mais bonitas do planeta, Meads Bay, Maundays Bay, Cove Bay, Little Bay e Rendezvous Bay continuam brilhando. Pouco a pouco, a natureza vai se recuperando e o verde já dá as caras. Restaurados, grandes hotéis e resorts, como o Zemi Beach e o incrível Four Seasons Anguilla já foram reabertos e estão como novos, cheios de novidades e serviços. No acanhado centro da ilha, lojas, restaurantes, bares e boutiques dão os retoques finais à espera dos visitantes que devem chegar de várias partes do mundo.

Hot list? Absolutamente! Apesar da frequência de turistas, Anguilla preserva uma atmosfera quase bucólica em algumas regiões. É quase um destino intimista, daqueles ideais para fugir e esquecer da vida real. As praias têm ares de exclusividade – algumas são absolutamente desertas, com uma ou outra cabana que serve de bar e restaurante ao som de reggae, o gênero musical mais popular da ilha, e onde chega-se facilmente (prazerosamente também!) a partir de passeios de lancha. Esses passeios são obrigatórios para ver à distância o sedutor recorte da sua costa, para mergulhar e ficar fascinado com os cardumes de peixes coloridos, ou ainda presenciar diversas formações rochosas só vistas do mar. Daqueles lugares para quem pensa em Caribe à procura de uma vibe totalmente laid back sem deixar de lado o conforto e a sofisticação.

0 Comentário