Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Festivais pelo mundo: jazz

14/02/2019

Cape Town International Jazz Festival 
Cidade do Cabo, África do Sul
29 a 30 março
capetownjazzfest.com


Que a Cidade do Cabo é a metrópole mais vibrante da África do Sul não é novidade. Melhor ainda, quando essa vibração chega à música. O Cape Town International Jazz Festival é considerado um dos melhores eventos do continente e uma referência para os amantes de jazz – e suas vertentes. Já se apresentaram nomes notáveis no festival, como Marcus Miller, baixista que já tocou ao lado de Miles Davis;  Lauryn Hill, nome fortíssimo no hip hop e R&B dos anos 1990; e o bolero contagiante do grupo cubano Buena Vista Social Club. Sempre no Centro Internacional de Convenções da Cidade do Cabo (CTICC), no último fim de semana de março ou no primeiro de abril, o festival conta com cinco palcos e apresenta mais de 40 artistas em duas noites. Desde o ano 2000, em média, mais de 37 mil pessoas privilegiam nomes locais e internacionais. O evento é produzido pela empresa ESPAfrika e esse ano terá nomes como o saxofonista, nascido na Cidade do Cabo, Morris Goldberg, o compositor, também sul-africano, Don Laka, o angolano Ndaka Yo Wini, com um repertório inspirado na música tradicional da Angola, o baixista camaronês Richard Bona, além do trompetista norte-americano keyon Harrold e a saxofonista londrina Nubya Garcia. 


New Orleans Jazz & Heritage Festival 
New Orleans, Estados Unidos
26 abril a 5 maio
nojazzfest.com


 “Todas as vezes que eu fecho os olhos tocando trompete, olho no coração da boa e velha New Orleans”. A frase de Louis Armstrong, um dos mais grandiosos jazzistas de todos os tempos, nascido em New Orleans, já deixa bem clara a relação da cidade com a música. E tem mais: ela está situada às margens do Rio Mississipi, no estado da Luisiana, onde surgiu o “blues do delta”, um dos gêneros que mais influenciou o jazz. Conclusão: o New Orleans Jazz & Heritage Festival é importantíssimo! Sua primeira edição aconteceu em 1970 e teve como destaque Mahalia Jackson, uma das principais vozes na história da música gospel. De lá para cá, o festival se tornou mais cosmopolita e contou com muitos destaques: Eric Clapton, Bruce Springsteen, Fats Domino, BB King, Chuck Berry, Charles Mingus, Ray Charles, Wilco, Rod Stewart, Arcade Fire... Sempre a partir do mês de abril, no Fair Grounds Race Course & Slots - a 10 minutos do charmoso bairro de French Quarter - o festival atrai centenas de milhares de pessoas. Esse ano o line-up está especial: Santana, Bud Guy, Al Green, Jerry Lee Lewis, Diana Ross e The Rolling Stones.

Montreux Jazz Festival 
Montreux, Suíça
28 junho a 13 julho
montreuxjazz.com


Brasil e Suíça se relacionam de alguma forma quando o assunto é música? O Montreux Jazz Festival prova que sim. O festival, criado em 1967 por Claude Nobs, foi ganhando corpo ao longo dos anos, no que diz respeito à mistura de diferentes gêneros musicais. Inicialmente dedicado ao jazz, aos poucos foi trazendo para o seu line-up nomes do blues, soul, rock e da Música Popular Brasileira. A relação se tornou tão forte que, a partir de 1978, uma noite passou a ser dedicada exclusivamente a músicos brasileiros. Já deram as caras por lá Gilberto Gil (o primeiro brasileiro a se apresentar no festival), Caetano Veloso, Elis Regina, Rita Lee, Gal Costa, Ney Matogrosso, Hermeto Pascoal, Marisa Monte, Milton Nascimento... A lista é longa! Parte da expansão musical do evento aconteceu por influência do produtor musical norte-americano Quincy Jones, que trouxe muitos músicos internacionais, principalmente nos anos 1990. Entre eles, alguns notáveis são Miles Davis, Prince, David Bowie, Ella Fitzgerald, Nina Simone... Outra lista enorme! Atualmente, produzido por Mathieu Jaton - que passou a estar à frente do festival após o falecimento de Claude Nobs, em 2013 - o Montreux Jazz Festival, realizado no Montreux Music & Convention Centre,  às margens do Lago Léman, é um dos mais importantes do mundo. Sempre apresenta artistas do momento, renovando-se a cada ano e atraindo por volta de 200 mil pessoas. Em 2019, as atrações serão anunciadas no dia 9 de abril. Alguma dúvida de que serão ótimas?

Copenhagen Jazz Festival 
Copenhagen, Dinamarca
5 a 14 julho
jazz.dk


A mistura entre uma cidade vibrante e boa música é sempre ótima. Essa é a receita do Copenhagen Jazz Festival, um dos principais do segmento na Europa e o principal na Dinamarca. Desde 1979, sempre no mês de julho, o festival torna os verões da capital dinamarquesa mais especiais. Mas a história do jazz em Copenhagen é de antes! Nas décadas de 1950 e 1960, ícones jazzistas passaram a tocar por lá, como o saxofonista norte-americano Dexter Gordon e o trompetista, do mesmo país, Chet Baker. Ao lado deles, os dinamarqueses Alex Riel, Niels-Henning Ørsted Pedersen e Palle Mikkelborg. Tudo isso acontecia no Jazzhus Montmartre, importantíssimo clube de jazz da cidade, que existe até hoje. A cada ano, durante dez dias, o Copenhagen Jazz Festival realiza em média 800 apresentações – vistas por mais de 250 mil pessoas - pela cidade inteira, incluindo pontos à céu aberto no centro histórico, clubes, cafés e salas de concertos. Serão realizados shows em locais como o Royal Danish Theatre e a Copenhagen Opera House. A programação ainda não saiu, mas promete apresentar os melhores nomes do jazz atual, internacionais e nacionais, como acontece em todos os anos. O festival ainda proporciona o programa "Something Else", inteiramente dedicado a gêneros além do jazz.

Chicago Jazz Festival
Chicago, Estados Unidos
23 agosto a 1° setembro

chicago.gov/city/en/depts/dca/supp_info/chicago_jazz_festival.html

A relação de Chicago com a música negra é histórica. Foi lá que, em meados dos anos 1950, o blues passou a ser eletrificado, transformação encabeçada por Muddy Waters. Desde então, muitos jazzistas passaram a se apresentar na cidade, que se tornou referência quando o assunto é esse tipo de música. Quem costumava se apresentar por lá era Duke Ellington, que faleceu em 1974 e foi homenageado, algumas semanas depois, por músicos de Chicago em um festival, que se repetiria por anos, no Grant Park. Já em 1978, o Chicago's Council of Fine Arts criou o primeiro concerto de John Coltrane, também no Grant Park. Um ano depois, o Jazz Institute of Chicago passou a planejar o seu próprio festival. Tantos festivais ainda dariam espaço para mais um? O Chicago Jazz Festival nasceu justamente da junção destes três. Produzido pelo Department of Cultural Affairs and Special Events e programado pelo Jazz Institute of Chicago, sempre acontece uma semana antes do Dia do Trabalho - comemorado nos Estados Unidos na primeira segunda-feira de setembro - e em vários pontos da cidade. O festival se tornou um dos mais importantes do gênero, já tendo apresentado nomes cultuadíssimos do gênero como Miles Davis, Ella Fitzgerald, BB King, Ornette Coleman e Dizzy Gillespie. Em 2019, além de apresentações em diferentes avenidas, os artistas farão shows no Chicago Cultural Center e no Millenium Park. No line-up: o saxofonista brasileiro Ivo Perelman, a banda de New Orleans Nolatet, além da pianista Amina Claudine Myers, do Arkansas, e de tributos a Muhal Richard Abrams e Willie Pickens.

Clientes Teresa Perez têm acesso a ingressos com lugares especiais nos concertos e festivais mais concorridos da temporada.

0 Comentário