Compartilhe
facebook twitter gplus mail

Sete Mercados Capitais

21/03/2019

Por Mauro Marcelo Alves*. Especial para a The Traveller

Muitas cidades pulsam de forma mais intensa em seus melhores mercados. Neles, os produtos eternizam o gosto de gerações e marcam a presença da cultura local nos gestos e palavras de seus vendedores. E existem alguns que vão além, adicionando ao ato de comprar ou de simplesmente ver seu movimento um charme ou importância histórica tão grandes que valem a própria viagem. São mercados capitais por sua importância, e aqui apresentamos sete deles em diferentes cidades do mundo.

Lau Pa Sat
Singapura, Singapura

Agrupando várias etnias em seu pequeno território, Cingapura reflete essa diversidade em vários mercados, de rua ou não, mas ninguém fica indiferente ao Lau Pa Sat, antes conhecido como Telok Ayer Market. Sua origem remonta a 1894 e suas instalações construídas pelos ingleses em formato octogonal são um verdadeiro marco arquitetônico, considerado monumento nacional. Nele se concentram bares e restaurantes com um desfile dia e noite de pratos chineses, indianos, japoneses, malaios, indonésios e tailandeses responsáveis pela fama de Cingapura entre os foodies do mundo.
laupasat.biz

Tsukiji 
Tóquio, Japão

É o maior mercado de peixes do mundo – cerca de 3 mil toneladas são comercializadas todos os dias. Produtos do mar fresquíssimos (o atum é a estrela máxima, com seu leilão na madrugada) chegam de várias partes do mundo, em um colorido desfile nos grandes galpões. É interessante estender a visita em um sushibar lá mesmo, dentro de Tsukiji, onde é possível degustar sushis e sashimis sublimes. A área exterior também tem ruelas com muitos restaurantes, casas de chá, lojas de utensílios de cozinha e artesanato. Fica no bairro central de Chuo e o acesso é fácil, principalmente de metrô.
tsukiji-market.or.jp

Les Marchés d’Aix-en-Provence
Aix-en-Provence, França
Naquela que é uma das cidades mais lindas da França, é uma delícia sentir a vida provençal se abrir aos sentidos nas feiras de rua. Na Place de l’Hôtel de Ville, sob os plátanos da Place Richelme, na belíssima avenida Cours Mirabeau (aproveite para uma taça de rosé no famoso café Les Deux Garçons) ou no Espace Cézanne, produtos plenos de frescor, qualidade e beleza estão ao alcance da emoção dos visitantes. Frutas, legumes, flores, azeites, azeitonas, peixes, frutos do mar, pães, vinhos e as famosas ervas que parecem espiritualizar a cozinha estão ali junto com os calissons, delicados doces locais à base de amêndoas. Como Aix é uma cidade pequena, essas feiras são como um único e variado mercado que serpenteia por suas ruas.

Mercado La Boqueria
Barcelona, Espanha

É uma visita praticamente obrigatória para quem passeia em La Rambla, o fervilhante calçadão da cidade. Ali, a visão dos peixes e frutos do mar, dos legumes e verduras, das carnes, dos jamóns – os excelentes presuntos espanhóis – e dos vários outros embutidos antecipa ao paladar a hora de deliciar-se com os petiscos (as típicas tapas) nos bares. E se você estiver lá durante o Carnaval, em fevereiro, a animação é maior: os vendedores se fantasiam e o mercado ganha uma decoração especial.
boqueria.barcelona

Harrods Food Hall
Londres, Inglaterra

Minha maior surpresa ao entrar no paraíso gastronômico da Harrod's foi esta: como podem existir tantos tipos de bacon? São peças incrivelmente apetitosas, em graus diferentes de carne, gordura e defumação. E as outras vitrines não ficam atrás, com um desfile de comidas provocantes. Se estiver em Knightsbridge, no coração de Londres, não hesite e vá ao encontro desse espetáculo de chás e cafés, doces e chocolates, biscoitos e geleias finíssimos, champagne e caviar, Porto e sherry, vinhos e spirits.
harrods.com

Yeliseyevsky
Moscou, Rússia

A Copa passou, mas a Rússia é sempre uma alternativa de viagem a considerar. Imensos lustres de cristais e admiráveis vitrais do prédio do fim do século 18, perto da Praça Pouchkine, compõem o cenário para os peixes defumados, as muitas tortas (piróg), os doces típicos (como o bolo de gengibre recheado de geleia), as vodcas inevitáveis e, claro, dezenas de tipos de caviar. Se for a São Petersburgo, repita a dose: lá também tem outro Yeliseysvsky.
eliseevskiy.ru

Grande Bazar
Istambul, Turquia

Desde a época em que mascates em caravanas levavam mercadorias para Istambul, o Grande Bazar (ou Kapali Çarsi, literalmente “mercado coberto” em turco) já era conhecido como grande atração da capital do Império Otomano. Foi construído em 1461 pelo sultão Mehmet e reformado várias vezes, após incêndios e terremotos. São cerca de 4 mil lojas em 58 ruas, divididas por setor. Tem de tudo: antiguidades, tapetes, tecidos, joias, bijuterias, cerâmicas, artigos de couro, luminárias e objetos de decoração. Como regra geral antes das compras, a ordem é pechinchar. Circular por ali, entre as arcadas que se sucedem com mosaicos azuis, vermelhos e verdes, lembra a volta a um passado remoto diante das cores, texturas e surpresas a cada momento.
kapalicarsi.com.tr

* Mauro Marcelo Alves - jornalista, escritor e chef de cozinha, é autor de Vinhos, A Arte da França, e consultor enogastronômico

0 Comentário